Vice-prefeito de Agudo √© preso em a√ß√£o contra fraude em licita√ß√Ķes realizada pela Policia Civil

Em uma opera√ß√£o deflagrada na manh√£ desta quarta-feira (13) ¬†em cidades da regi√£o Central, dentre elas Cachoeira do Sul e Metropolitana, a Pol√≠cia Civil cumpriu quatro mandados de pris√£o preventiva e 44 de busca, apreens√£o e de bloqueio de ativos contra um esquema de fraudes ¬†em licita√ß√Ķes estruturado dentro da prefeitura de Agudo. O vice-prefeito Moises Kilian (MDB) e mais tr√™s pessoas foram presas por suspeita de envolvimento nas irregularidades.

Também são investigados assessores e motoristas, além de empresários do ramo de máquinas e peças contratados pelo município de Agudo mediante dispensa de licitação. Os nomes dos outros presos ainda não foram divulgados pela Policia. O prejuízo estimado com a fraude pode chegar a R$ 1,1 milhão, considerando apenas os anos de 2015 e 2016 conforme auditoria do TCE.

A opera√ß√£o, batizada como Fogo F√°tuo, tem o objetivo de reprimir os crimes de corrup√ß√£o ativa e passiva, peculato, fraudes licitat√≥rias, organiza√ß√£o criminosa e lavagem de capitais. Entre os bens apreendidos, est√£o documentos relacionados √†s dispensas de licita√ß√£o e contratos administrativos pactuados entre o Poder Executivo de Agudo e empresas do ramo de pe√ßas e maquin√°rios, al√©m de notas de empenho e fiscais, agendas, anota√ß√Ķes e telefones celulares dos principais investigados, al√©m de poss√≠veis objetos de origem il√≠cita, como armas de fogo.

A investiga√ß√£o vem sendo feita h√° um ano pela Delegacia de Pol√≠cia de Repress√£o aos Crimes contra a Administra√ß√£o P√ļblica e Ordem Tribut√°ria (Deat) do DEIC. O delegado Max Ritter, um dos respons√°veis pelo caso, diz que a organiza√ß√£o criminosa √© suspeita de fraudar procedimentos licitat√≥rios atrav√©s da poss√≠vel combina√ß√£o de valores e da pr√°tica reiterada de fracionamento das compras. O grupo ainda buscava se enquadrar nos limites legais para dispensa de licita√ß√£o com o objetivo de n√£o demonstrar que estaria ocorrendo irregularidades. Al√©m disso, em conluio com empres√°rios previamente escolhidos, eram solicitadas notas fiscais com valores superfaturados, abrindo caminho para os desvios de recursos p√ļblicos investigados.

O delegado Andr√© Anicet, tamb√©m respons√°vel pela investiga√ß√£o, ressalta que a opera√ß√£o teve por finalidade a pris√£o dos principais alvos, a apreens√£o de documentos para refor√ßar a pr√°tica dos delitos apurados, o sequestro de bens patrimoniais, bem como a verifica√ß√£o da participa√ß√£o de outros agentes p√ļblicos nos crimes.

‚ÄĒ Em rela√ß√£o ao patrim√īnio adquirido pelos investigados, s√£o nove ordens de indisponibilidade de bens, como o bloqueio de contas, apreens√£o de ve√≠culos e im√≥veis ‚ÄĒ afirma Anicet.

Ordens judiciais

Nesta ação, os 35 mandados judiciais de busca, as nove ordens judiciais de bloqueio de ativos e os quatro mandados de prisão foram cumpridos nas cidades de Agudo, Santa Maria e Cachoeira do Sul, na Região Central, além de outros em Canoas e em Porto Alegre, na Capital. A operação contou com 182 policiais civis.

com informa√ß√Ķes Radio Gaucha