Sindicato dos Médicos Veterinários do Estado apoia iniciativa de retirada de exigência de exame de Mormo

A iniciativa da Secretaria da Agricultura, Pecu√°ria e Desenvolvimento Rural (Seapdr) em solicitar a retirada da exig√™ncia do exame de mormo ao Minist√©rio da Agricultura, Pecu√°ria e Abastecimento (Mapa) foi bem recebida pelo Sindicato dos M√©dicos Veterin√°rios no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS). A partir do pedido, ser√° realizada uma coleta de 5 mil amostras em equinos de diversas regi√Ķes do Rio Grande do Sul, para verificar a aus√™ncia da doen√ßa nos animais do Estado, conforme a Instru√ß√£o Normativa 06/2018 do Minist√©rio.
O diretor do Simvet/RS, João Junior, lembra que é necessário não ter registros da doença por três anos consecutivos e este prazo valeria a partir de 2019, já que em 2018 foram registrados casos positivos. Lembra também que por decisão judicial alguns animais confirmados com a doença não foram sacrificados, diferente do que determina a norma do Ministério da Agricultura, e que é preciso saber o que se farão com estes exemplares.
Outro ponto salientado pelo dirigente do sindicato √© a quest√£o da fiscaliza√ß√£o. “√Č importante saber se estamos tendo fiscaliza√ß√£o adequada nas nossas estradas e principalmente em entrada de eventos equestres para saber se n√£o temos equinos clandestinos. Torcemos para que n√£o tenhamos casos positivos da doen√ßa, por√©m estamos sempre a favor da sanidade equina para que todo o setor da equinocultura se desenvolva da melhor forma uma vez que entendemos que este √© um s√≠mbolo do Rio Grande do Sul”, observa.
O Mormo √© provocado por uma bact√©ria que pode contaminar qualquer tipo de equ√≠deo, seja cavalos, mulas ou burros. O cont√°gio se d√° por meio das secre√ß√Ķes, como pus, corrimento nasal, urina, fezes e s√™men. As pessoas que trabalham com os animais devem usar luvas e m√°scaras para evitar a possibilidade de cont√°gio. No Rio Grande do Sul, a enfermidade apareceu no ano de 2015 quando um animal foi encontrado com caso positivo. Desde ent√£o a Secretaria da Agricultura juntamente com veterin√°rios e associa√ß√Ķes de ra√ßa trabalharam para conter e erradicar os casos no Estado.