Justiça Gaúcha lança aplicativo que vai reforçar Adoção de Crianças

A área da infância e juventude ganhou nesta sexta-feira, um importante reforço para ajudar o encontro de pais e filhos do coração: o Aplicativo Adoção será lançado , no auditório da Fundação Pão dos Pobres, em Porto Alegre.

A ferramenta é uma iniciativa do Poder Judiciário, em parceria com o Ministério Público do Estado e a PUCRS. O objetivo é promover adoções de crianças e adolescentes que respondem pela grande maioria do perfil disponível: adolescentes, grupos de irmãos e jovens com deficiência. A ideia é que a humanização da busca, com fotos, vídeos, cartas e desenhos, possa despertar o interesse e a flexibilização do perfil desejado pelos candidatos habilitados.

Na  cerimônia estiveram presentes  Presidente do Tribunal de Justiça do RS, Desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, da Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Denise Oliveira Cezar, do Procurador-Geral da Justiça, Fabiano Dallazen e da Pró-Reitora da PUCRS, Carla Denise Bonan, além de autoridades, profissionais da área e representantes de instituições de acolhimento.

Funcionamento

A ferramenta, disponível nas versões android e iOS, pode ser baixada nas lojas (Google Play e Apple Store). Com o App, as famílias que estão no Cadastro Nacional de Adoção (CNA) conhecerão detalhes das crianças e dos adolescentes, que contam, em vídeos, um pouco mais sobre eles. Até então, no Projeto Busca-Se(R), da Coordenadoria da Infância e Juventude do RS, só era possível ter acesso a dados básicos como nome, idade, sexo, raça, condições de saúde e situação jurídica, disponibilizados em uma planilha no site da Infância e Juventude do TJRS.

As informações e imagens estão armazenadas em uma área de acesso restrito, cujo conteúdo estará disponível apenas às pessoas habilitadas à adoção, mediante cadastro e solicitação de acesso, que será fornecido pelo Poder Judiciário.

O público em geral também poderá baixar o App, mas só terá acesso a informações básicas adoção, sem identificação dos jovens cadastrados no aplicativo.

Histórico

O protótipo do aplicativo foi projetado pelos professores da Apple Developer Academy da PUCRS, e desenvolvido por alunos do curso de Desenvolvimento de Softwares, da Faculdade de Informática da PUCRS, sob a orientação de docentes, ambos vinculados à Agência Experimental de Engenharia de Software. Durante o ano de 2017, os universitários trabalharam na elaboração da ferramenta. Em algumas aulas, houve a troca de informações com magistrados e servidores da infância e juventude, da comunicação e da informática do TJRS. No final do ano passado, a PUCRS entregou a versão inicial do app.

Ao longo do primeiro semestre de 2018, a Direção de Informática e Tecnologia da Informação e Comunicação (DITIC) do TJRS realizou ajustes, adaptações e integrações da ferramenta. Já a identidade visual do app foi realizada pelo Publicitário Mário Salgado, da Unidade de Imprensa do TJRS. A iniciativa também conta com a parceria do Ministério Público Estadual, que fiscalizará as ações dos usuários quando do acesso do aplicativo e contribuirá com o conteúdo informativo.

Comente este artigo..