Em nota, Agricultura Familiar pede atenção do Governo Estadual

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul – FETAG-RS junto a seus 321 Sindicatos de Trabalhadores Rurais, os quais têm em sua base de representação a agricultura e pecuária familiar, vem através desta nota mostrar descontentamento com a demora de atitude e efetividade por parte do Governo Estadual em relação ao setor.

Já se passaram 100 dias de trabalho do atual governo e inúmeras incertezas rondam o dia a dia das famílias do campo. Registramos aqui o descaso e a morosidade em relação a assinatura do decreto que libera o processo do Programa Estadual de Forrageiras, do qual o setor leiteiro depende em sua grande maioria para a manutenção da atividade. A produção leiteira vem atravessando uma crise exponencial, uma das maiores já vivenciada e neste momento em que aguarda a liberação de sementes para plantação de pastagens, parte do Governo Estadual está literalmente “sentado”, não se importando com o impacto de sustentação econômica das famílias e o para próprio Estado.

Outro aspecto que causa preocupação é a demora na nomeação ou indicação de pessoas que cuidarão da agricultura familiar dentro da Secretaria de Agricultura, bem como nas demais instituições, como Emater. Cabe ressaltar que o diálogo e espaço para debate com esta secretaria, que está sendo conduzida pelo Secretário Luis Covatti Filho, acontece de maneira satisfatória, pois sempre que procurado, o Secretário atendeu prontamente a Federação. Contudo, é extremamente necessário e urgente o olhar estratégico por parte do governo em relação a agricultura familiar, pois é ela quem garante a soberania alimentar do Estado e País.

Ainda, importante destacar que após eleito o Governador Eduardo Leite visitou a FETAG-RS e se colocou a disposição para diálogo sobre as demandas da agricultura familiar. Porém, não compreendemos qual o conceito do Governador em relação ao termo “diálogo”, pois há semanas que solicitamos uma agenda para apresentar algumas solicitações de melhorias em relação ao setor e até o momento não houve retorno de definição da data.

A FETAG-RS reitera que deseja manter um canal aberto de diálogo com o governo do Estado, pois acredita que a construção coletiva de políticas públicas, programas e projetos trará benefício aos mais interessados desta relação, os agricultores(as) e pecuaristas familiares, a quem devemos nosso respeito e dedicação.

Comente este artigo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *