Doença que leva à perda de visão tem novo tratamento pelo SUS

Pessoas com Degenera√ß√£o Macular Relacionada √† Idade (DMRI) contam agora com novas op√ß√Ķes de tratamento gratuito pelo Sistema √önico de Sa√ļde (SUS). O Minist√©rio da Sa√ļde ampliou a lista de procedimentos ofertados para pacientes com o diagn√≥stico ao incorporar a oferta do medicamento antiangiog√™nico e o exame de tomografia de coer√™ncia √≥ptica.¬†As medidas s√£o importantes tanto para detectar precocemente a doen√ßa quanto para tratar os casos j√° confirmados.

Os dois novos procedimentos s√£o para atender pacientes a partir dos 60 anos e dever√£o ser realizados conforme protocolo cl√≠nico e diretrizes terap√™uticas da DMRI do Minist√©rio da Sa√ļde. O medicamento antigiog√™nico √© injet√°vel e pode ser feito em um ou nos dois olhos, com intervalo m√≠nimo de 15 dias entre um olho e outro. J√° a tomografia de coer√™ncia √≥ptica √© um exame oftalmol√≥gico n√£o invasivo para o diagn√≥stico da doen√ßa nos dois olhos. O exame visa detectar sinais microsc√≥picos de altera√ß√Ķes precoces da retina.

Perda progressiva

A degenera√ß√£o macular √© uma doen√ßa que ocorre na parte central da retina (m√°cula), √°rea do olho respons√°vel pela forma√ß√£o da imagem, e que leva √† perda progressiva da vis√£o central. O principal fator de risco √© o aumento da idade. A doen√ßa pode ser classificada como seca, respons√°vel pela maior parte dos casos (de 85% a 90%) ou √ļmida (10% a 15%).

Com a publica√ß√£o da portaria 4.225 no¬†Di√°rio Oficial da Uni√£o¬†(DOU), a¬†incorpora√ß√£o dos procedimentos na tabela SUS passou a vigorar em dezembro de 2018. Por um per√≠odo de seis meses, os recursos destinados ao custeio desses novos procedimentos ser√£o repassados pelo Minist√©rio da Sa√ļde aos estados por meio do Fundo de A√ß√Ķes Estrat√©gicas e Compensa√ß√£o. O objetivo √© formar s√©rie hist√≥rica de atendimento, para posterior incorpora√ß√£o desse custeio ao teto de m√©dia e alta complexidade dos estados.

Fonte:¬†Minist√©rio da Sa√ļde