Dieese contabilizou 1.566 greves em 2017 no setor p√ļblico e privado

Durante todo o ano passado foram registradas em todo o pa√≠s 1.566 greves, uma queda de 26% em rela√ß√£o a 2016, segundo dados do Departamento Intersindical de Estat√≠stica e Estudos Socioecon√īmicos (Dieese) divulgados hoje (18). Trabalhadores da esfera p√ļblica fizeram 814 paralisa√ß√Ķes e os do setor privado 746.

Nos tr√™s n√≠veis administrativos do funcionalismo p√ļblico, foram contabilizadas 58 mil horas paradas. Os servidores municipais responderam por 62% do total dessas horas paradas. No setor privado, foram 33 mil horas paradas. As greves ocorridas no setor de servi√ßos corresponderam a 76% dessas mobiliza√ß√Ķes.

Em 2017, 54% das greves encerraram-se no mesmo dia em que foram deflagradas. As greves que se alongaram por mais de 10 dias representaram 16%. A maioria das greves (81%) teve como motiva√ß√£o itens de car√°ter defensivo na pauta de reivindica√ß√Ķes, sendo que mais da metade (56%) reclamava de descumprimento de direitos.

A exig√™ncia de regulariza√ß√£o de vencimentos em atraso (sal√°rios, f√©rias, d√©cimo terceiro sal√°rio ou vale salarial) esteve na pauta de 44% das greves e foi a principal reivindica√ß√£o em 2017. A reivindica√ß√£o por reajuste de sal√°rios e pisos vem a seguir, presente em 32% das paralisa√ß√Ķes.

Sobre o desfecho das paralisa√ß√Ķes, a pesquisa do Dieese apontou que 570 greves (36% do total) tiveram √≠ndice de 78% de √™xito no atendimento √†s reivindica√ß√Ķes.

 

 

fonte Agência Brasil