Candidatos à direção de escolas estaduais passarão por curso inédito de gestão

As mais de 2,5 mil escolas da rede estadual do Rio Grande do Sul preparam-se para escolher seus diretores para mandados de três anos. A votação será no dia 27 de novembro. Independentemente de quem tiver mais votos, já há um vencedor: a educação gaúcha. Isso porque, este ano, a Secretaria da Educação (Seduc) promove curso inédito de gestão para os próximos gestores. A primeira fase, no sistema de Ensino a Distância (EaD), começa nesta sexta-feira (9). O link já foi disponibilizado e mais de 1,3 mil candidatos (alguns tentando a reeleição) se matricularam, desde o dia 5, quando começaram as inscrições.

“Que o Estado atravessa uma situação financeira precária, não é mais segredo há tempos. Porém, mais do que a falta de dinheiro, o que prejudica boa parte das escolas é a ausência de técnicas de gestão. Assim como professores, merendeiras, secretário e os demais envolvidos com a Educação, é preciso qualificação constante”, afirmou o secretário Ronald Krummenauer.

Obrigatório a diretores e vices a partir da próxima gestão, o curso traz informações sobre o funcionamento dos departamentos da Seduc – Planejamento, Administrativo, Recursos Humanos, Logística, Jurídico e Pedagógico. Há, ainda, conteúdo voltado para liderança e comunicação (media training), entre outros. A carga horária é de 120 horas, divididas em três etapas.

“Será a primeira vez que a Seduc oferece um curso com essa qualidade. Vai ajudar muito na gestão de cada um deles”, avaliou a diretora-adjunta do Departamento de Planejamento (Deplan/Seduc), Neri Barcelos, quer coordenou o grupo de trabalho responsável pela elaboração do curso.

No primeiro módulo, de 20 horas, os diretores aprendem noções de liderança e da função, bem como os atributos principais da administração pública. Em dezembro, o próximo módulo, de 40 horas, explicará o funcionamento e a melhor maneira de encaminhar demandas à Seduc. O terceiro módulo, também de 40 horas, a ser realizado no início do próximo ano, mostra ações indispensáveis ao cotidiano de quem faz a gestão escolar.

Eleições

O prazo para inscrição das chapas terminou em 1º de novembro. Até esta quinta-feira (8), as comissões eleitorais de cada instituição de ensino vão analisar os pedidos de impugnação. Na sexta-feira (9), as candidaturas precisam estar homologadas. Cada escola fica responsável por divulgar, junto à comunidade escolar, a realização da eleição, que ocorrerá entre 20h e 21h do dia 27 de novembro.

De acordo com a portaria 314/2018, estão aptos a votar os alunos matriculados a partir do 5º ano (ou maiores de 12 anos), os pais dos menores de 18 anos (mãe, pai ou responsável, valendo apenas um voto por família), os professores e os demais servidores, nomeados ou temporários.

Para se candidatar, é preciso ser membro do magistério ou servidor da escola e ter curso superior na área da Educação. Não poderão participar candidatos condenados em processo disciplinar administrativo em órgão da administração pública nos últimos cinco anos, ocupantes de cargo eletivo regido pela Justiça Eleitoral e sentenciados penalmente nos últimos cinco anos.

As eleições não ocorrerão nas escolas indígenas, nos Núcleos de Educação de Jovens e Adultos (Neejas), nas escolas da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase) e Centros de Atendimento Socioeducativo (Cases) e nas escolas que tiverem em efetivo exercício apenas um membro do magistério, dada as especificidades e peculiaridades dos referidos estabelecimentos.

Comente este artigo..