Brasil: o grande problema é a classe política, diz Bolsonaro

√Äs v√©speras de manifesta√ß√£o de seus apoiadores pela aprova√ß√£o de medidas no Congresso, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (20) que “o grande problema do Brasil √© a classe pol√≠tica”.

Em discurso na Firjan (Federa√ß√£o das Ind√ļstrias do Rio de Janeiro), ele repetiu conceitos da carta que divulgou na sexta (17), acusando “corpora√ß√Ķes” de boicotar seu governo.

“O Brasil √© um pa√≠s maravilhoso, que tem tudo para dar certo. Mas o grande problema √© a nossa classe pol√≠tica”, disse ele, pedindo apoio do governador e do prefeito do Rio, Wilson Witzel (PSC) e Marcelo Crivell (PRB). “N√≥s temos que mudar isso “, completou.

Na sexta, Bolsonaro havia compartilhado texto que dizia que o Brasil √© “ingovern√°vel”, j√° que o Congresso est√° a servi√ßo de corpora√ß√Ķes que se op√Ķem a mudan√ßas.

“Cada vez que eu toco o dedo numa ferida, um ex√©rcito de pessoas influentes vira contra mim”, afirmou, conclamando os presentes a pressionar seus parlamentares a votar propostas to governo. “N√≥s temos uma oportunidade √≠mpar de mudar o Brasil. Mas n√£o vou ser eu sozinho -apesar de meu nome ser Messias- que vou conseguir.”

O texto compartilhado pelo presidente vem sendo usado para incentivar a convoca√ß√£o de apoiadores para manifesta√ß√Ķes no pr√≥ximo domingo (26).

Os protestos pedem a aprovação de decretos do governo, como a da reestruturação do Executivo, e da reforma da Previdência.

Em seu discurso, Bolsonaro afirmou que n√£o h√° crise entre poderes e voltou a criticar a imprensa. “O que h√° √© uma grande fofoca. E parece que lamentavelmente, grande parte da nossa m√≠dia se preocupa mais com isso do que com a realidade e o futuro do Brasil”, disse.

Ele criticou, por√©m, o ritmo das vota√ß√Ķes no Congresso, dizendo que a convoca√ß√£o das manifesta√ß√Ķes de domingo foi mais √°gil. “O que mais quero √© conversar [com o Congresso]. Mas eu sei que tem gente que n√£o quer apenas conversar”, continuou, sem especificar quem seriam e quais os interesses desses √ļltimos.

 

Comente este artigo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *