Porque comprar, porque não comprar.

Dia desses enquanto me dirigia para um compromisso, passei próximo a um supermercado e me deu uma vontade de comprar algo para comer. Levei a mão no bolso e constatei que tinha apenas dois reais.

Dois reais! Puxa vida! Fazia muito tempo não andava numa pindaíba tão grande. E estávamos apenas no oitavo dia daquele mês.

Mas mesmo assim, com dois reais eu poderia comprar um pacote de bolacha recheada, um Waffer, uma pastelina… Sei lá!

Por mais mixaria que seja “dois reais” ou “dois pila”, ainda da pra comprar algo.

Resolvi então que, ao voltar do compromisso, iria entrar naquele mercado e saciar a minha vontade.

Naquele mesmo momento vindos da esquina na rua onde me encontrava, dois garotos de uns 08 ou 09 anos caminhavam em minha direção.

Um deles atravessou para a calçada do outro lado. O outro permaneceu na sua trajetória.

Na sua mão uma pequena porção de papel que lembrava um bloquinho de “Ação entre amigos”. E era.

Ali senti que os meus últimos “dois pila” deixariam minha carteira para sempre e que a missão de comprar o que eu tinha intenção seria abortada.

Quanto mais o garoto se aproximava, maior era o seu sorriso. Que já tomava conta de todo o rosto, indo de uma orelha a outra (sabem os emojis? Bem parecido!).

Quando nossas trajetórias se alinharam eu percebi que eu teria que tomar uma decisão, pois ele iria me oferecer uma cartela para ajuda-lo na sua causa. Dito e feito!!!

– Tio quer comprar um numero?

Eu já havia deduzido o valor, mas mesmo assim perguntei.

РQuanto ̩?

Bingo!!!

– Dois reais tio.

Onde quero chegar contando essa história? É que todos os dias precisamos fazer escolhas.

Desde que acordamos até a hora de deitar novamente, as horas são feitas de escolhas.

Qual roupa usar. O que tomar no café da manhã. Vou de carro ou vou a pé? Enfim! A todo o momento tenho que decidir. E foi o que fiz.

Quando comecei a puxar o dinheiro da carteira ele me explicou no que seria usado os meus “dois pila” e o que eu poderia ganhar em troca.

Junto com outros reais arrecadados ao longo de sua missão, os meus “dois pila” vai utilizar para custear uma viagem de sua turma de escola no final do ano (não me perguntem para onde porque não lembro mais). E eu concorro a uma cesta de produtos de beleza e guloseimas.

Produtos de “beleza”? Hummm! Naquela hora até esqueci que era meu ultimo dinheiro na carteira, pois começava ali a grande possibilidade de ficar bonito.

E as guloseimas? Bom! Devido ao meu problema com a diabetes, se fossem doces teria que abrir mão do prêmio. Quem levaria vantagem? A esposa e a filha!

Sobre escolhas? Acho que às vezes acertamos. Em outras erramos. Mas o importante é que você não hesite em fazê-la.

O sorteio será dia 11/05. Meu numero é o 128. Se terei sorte? Não importa.

A alegria daquele menino por obter êxito comigo na sua tarefa de ajudar a turma da escola já fez sentir-me contemplado.

E sem ele saber me valorizou, ao me incluir numa ação chamada “ENTRE AMIGOS”.

Valeu meu pequeno e mais novo amigo. Que a turma de tua escola seja muito feliz neste passeio.

Bom final de semana a todos!

Comente este artigo..