Porque comprar, porque n√£o comprar.

Dia desses enquanto me dirigia para um compromisso, passei próximo a um supermercado e me deu uma vontade de comprar algo para comer. Levei a mão no bolso e constatei que tinha apenas dois reais.

Dois reais! Puxa vida! Fazia muito tempo não andava numa pindaíba tão grande. E estávamos apenas no oitavo dia daquele mês.

Mas mesmo assim, com dois reais eu poderia comprar um pacote de bolacha recheada, um Waffer, uma pastelina… Sei l√°!

Por mais mixaria que seja ‚Äúdois reais‚ÄĚ ou ‚Äúdois pila‚ÄĚ, ainda da pra comprar algo.

Resolvi ent√£o que, ao voltar do compromisso, iria entrar naquele mercado e saciar a minha vontade.

Naquele mesmo momento vindos da esquina na rua onde me encontrava, dois garotos de uns 08 ou 09 anos caminhavam em minha direção.

Um deles atravessou para a calçada do outro lado. O outro permaneceu na sua trajetória.

Na sua m√£o uma pequena por√ß√£o de papel que lembrava um bloquinho de ‚ÄúA√ß√£o entre amigos‚ÄĚ. E era.

Ali senti que os meus √ļltimos ‚Äúdois pila‚ÄĚ deixariam minha carteira para sempre e que a miss√£o de comprar o que eu tinha inten√ß√£o seria abortada.

Quanto mais o garoto se aproximava, maior era o seu sorriso. Que j√° tomava conta de todo o rosto, indo de uma orelha a outra (sabem os emojis? Bem parecido!).

Quando nossas trajetórias se alinharam eu percebi que eu teria que tomar uma decisão, pois ele iria me oferecer uma cartela para ajuda-lo na sua causa. Dito e feito!!!

– Tio quer comprar um numero?

Eu j√° havia deduzido o valor, mas mesmo assim perguntei.

РQuanto é?

Bingo!!!

– Dois reais tio.

Onde quero chegar contando essa hist√≥ria? √Č que todos os dias precisamos fazer escolhas.

Desde que acordamos até a hora de deitar novamente, as horas são feitas de escolhas.

Qual roupa usar. O que tomar no café da manhã. Vou de carro ou vou a pé? Enfim! A todo o momento tenho que decidir. E foi o que fiz.

Quando comecei a puxar o dinheiro da carteira ele me explicou no que seria usado os meus ‚Äúdois pila‚ÄĚ e o que eu poderia ganhar em troca.

Junto com outros reais arrecadados ao longo de sua miss√£o, os meus ‚Äúdois pila‚ÄĚ vai utilizar para custear uma viagem de sua turma de escola no final do ano (n√£o me perguntem para onde porque n√£o lembro mais). E eu concorro a uma cesta de produtos de beleza e guloseimas.

Produtos de ‚Äúbeleza‚ÄĚ? Hummm! Naquela hora at√© esqueci que era meu ultimo dinheiro na carteira, pois come√ßava ali a grande possibilidade de ficar bonito.

E as guloseimas? Bom! Devido ao meu problema com a diabetes, se fossem doces teria que abrir mão do prêmio. Quem levaria vantagem? A esposa e a filha!

Sobre escolhas? Acho que às vezes acertamos. Em outras erramos. Mas o importante é que você não hesite em fazê-la.

O sorteio será dia 11/05. Meu numero é o 128. Se terei sorte? Não importa.

A alegria daquele menino por obter êxito comigo na sua tarefa de ajudar a turma da escola já fez sentir-me contemplado.

E sem ele saber me valorizou, ao me incluir numa a√ß√£o chamada ‚ÄúENTRE AMIGOS‚ÄĚ.

Valeu meu pequeno e mais novo amigo. Que a turma de tua escola seja muito feliz neste passeio.

Bom final de semana a todos!

Comente este artigo..