Assembleia Legislativa monta grupo para debater riscos de rompimento da Barragem do Capané

A Comiss√£o de Sa√ļde e Meio Ambiente do Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou por unanimidade¬† a cria√ß√£o de uma subcomiss√£o para expor, analisar e discutir a quest√£o das barragens no Rio Grande do Sul. A proposta √© do deputado Paparico Bacchi (PR), que ser√° o coordenador dos trabalhos e ter√° 120 dias para apresentar relat√≥rio das a√ß√Ķes desenvolvidas. Os deputados Silvana Covatti (PP) e Vilmar Louren√ßo (PSL) j√° anunciaram ades√£o ao grupo parlamentar. O prazo para inclus√£o de novos integrantes encerra na pr√≥xima quarta-feira (20).

Bacchi destacou que o objetivo √© avaliar a situa√ß√£o das barragens ga√ļchas para prevenir trag√©dias a exemplo do ocorrido nos munic√≠pios mineiros de Mariane Brumadinho. De acordo com um relat√≥rio elaborado pela Ag√™ncia Nacional das √Āguas, o Brasil tem 24 mil barragens, sendo que no Rio Grande do Sul foram constru√≠das dez mil estruturas espalhadas em diversas regi√Ķes. Uma delas √© em Cachoeira do Sul: Barragem do Capan√©. As outras que tamb√©m apresentam riscos de rompimento s√£o em Pelotas e Viam√£o.

O plano de trabalho prev√™ a estrutura√ß√£o de for√ßa-tarefa para a√ß√£o r√°pida e articulada entre a subcomiss√£o e a Ag√™ncia Nacional de √Āguas, Defesa Civil, secretarias estaduais e Ex√©rcito Brasileiro. A revis√£o da base cadastral do Sistema Nacional de Informa√ß√Ķes sobre Seguran√ßa de Barragens, tamb√©m est√° inserida mas metas da subcomiss√£o.