Auxílio Emergencial já injetou R$ 3,3 bilhões na economia Gaúcha

Desde abril, quando iniciou o calendário de pagamentos do auxílio emergencial , a Caixa já transferiu R$ 89,3 bilhões a 64,1 milhões de beneficiários. Do total de brasileiros contemplados, chama a atenção o número de pessoas que se cadastraram pelo site e aplicativo: 34,4 milhões. Além delas, outras 19,2 milhões de pessoas do Bolsa Família e 10,5 milhões incluídas no Cadastro Único receberam os valores.

Entre os 10 Estados que mais receberam valores está o Rio Grande do Sul. Moradores gaúchos receberam R$ 3,3 bilhões, o que corresponde a 3,7% do total do bolo distribuído. Os números, absolutos, foram divulgados pela Caixa  e contabilizados até a última quarta-feira (24).

O estado líder no ranking é São Paulo, que tem a maior população do país – foram R$ 15,2 bilhões pagos, o que equivale a 17% do total. Em seguida estão Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Pará, Maranhão e Paraná. O Rio Grande do Sul é o décimo (veja lista abaixo).

Se forem considerados os dados por região, o Nordeste tem a maior fatia: foram R$ 32,4 bilhões recebidos. Em seguida, está o Sudeste, com R$ 31,8 bilhões; Norte, com R$ 9,8 bilhões; Sul, com R$ 9 bilhões; e Centro-Oeste, com R$ 6,3 bilhões.

O valor de R$ 600 é pago a trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, e tem como objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do coronavírus É necessário pertencer a família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 522,50) ou cuja renda familiar seja de até três salários mínimos (R$ 3.135).

Para as famílias em que a mulher é a única responsável pelas despesas da casa, o valor pago mensalmente chega a R$ 1,2 mil. Quem recebe Bolsa Família e tem direito ao auxílio mais vantajoso fica com o programa suspenso no período de recebimento de valores.

Pagamento por estados (+ Distrito Federal)

  1. SP: R$ 15,2 bi (17%)
  2. BA: R$ 8,5 bi (9,5%)
  3. MG: R$ 7,9 bi (8,8%)
  4. RJ: R$ 7,1 bi (8%)
  5. PE: R$ 5,4 bi (6%)
  6. CE: R$ 5,1 bi (5,7%)
  7. PA: R$ 4,8 bi (5,4%)
  8. MA: R$ 4,1 bi (4,6%)
  9. PR: R$ 3,8 bi (4,3%)
  10. RS: R$ 3,3 bi (3,7%)
  11. GO: R$ 2,8 bi (3,1%)
  12. PB:R$ 2,3 bi (2,6%)
  13. AM: R$ 2,2 bi (2,5%)
  14. PI: R$ 2 bi (2,2%)
  15. SC: R$ 1,9 bi (2,1%)
  16. AL: R$ 1,8 bi (2%)
  17. RN:R$ 1,8 bi (2%)
  18. ES: R$ 1,6 bi (1,8%)
  19. MT: R$ 1,4 bi (1,6%)
  20. SE: R$ 1,4 bi (1,6%)
  21. MS: R$ 1,1 bi (1,2%)
  22. DF: R$ 1 bi (1,1%)
  23. RO: R$ 0,8 bi (0,9%)
  24. TO: R$ 0,7 bi (0,8%)
  25. AC: R$ 0,5 bi (0,6%)
  26. AP: R$ 0,5 bi (0,6%)
  27. RR: R$ 0,3 bi (0,3%)

fonte Gaúcha/ZH

Comente este artigo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *