Todesmade planeja inaugurar em setembro, indústria de beneficiamento de madeira no Piquiri

O grupo Todeschini planeja inaugurar no próximo mês de setembro a sua nova planta industrial de beneficiamento de madeira, na localidade de Mineração, interior de Cachoeira do Sul. Inicialmente chamada de Pamplac, a indústria agora recebeu oficialmente o nome de Todesmade Indústria de Madeiras e Artefatos LTDA. A obra está sendo feita a 55 quilômetros do centro da cidade (30 quilômetros de asfalto e mais 25 quilômetros de estrada de chão). O cronograma de construção civil e instalações da Todesmade está dentro do planejado pela empresa Todeschini, que tem sede em Bento Gonçalves e por isso a data de início das atividades já é planejando para o mês de setembro. O investimento total é estimado em R$ 101 milhões.

O gerente da planta, Sidiano Valduga, que seguirá depois como gerente do empreendimento, explica que há máquinas nacionais e importadas que devem chegar até o final deste mês de fevereiro e já devem ser montadas e testadas. Uma caldeira de produção de vapor de 25 toneladas por hora com 19 metros de altura foi o primeiro equipamento a chegar e está em fase de montagem. A indústria contará com cinco prédios: serraria (para o corte e descasque da madeira), remanufatura (para classificação da madeira serrada e fábrica de pellets), caldeira, manutenção e o último que abrigará escritório, refeitório e vestiário. As edificações do complexo atingirão 20 mil m² em uma área total de 68 mil m².
As toras de pinos serão a matéria-prima da Todesmade, que serão descascadas e as cascas se tornam biomassa para a caldeira, que gera vapor que é utilizado na secagem das tábuas. A serragem da madeira (que é um subproduto) é compactada com 10% de umidade e se torna em pellets, que é um biocombustível sólido. Tanto a madeira seca quanto os pellets têm como foco a exportação, mas os clientes finais ainda não estão definidos.
NOVA TODESMADE – Valduga explica que, apesar de levar o mesmo nome da antiga indústria Todesmade, que ficava na Vila Vargas, a nova planta é totalmente diferente da anterior. “Esta nova planta chega com um conceito diferenciado de tecnologia, eficiência e produção”, frisa ele. A meta é produzir 8 mil metros cúbicos por mês de madeira seca e 2,6 mil toneladas de pellets.A meta da Todesmade é retirar madeira de uma floresta própria estimada em 10 mil hectares e, se necessário, adquirir de outras empresas.
Neste período, três empresas estão no canteiro de obras para erguer os 5 prédios e colocar todo o sistema em funcionamento. São prestadores de serviço a Eletroservice (parte elétrica e de comunicação), Technika (construção civil) e Intecnial (montagem mecânica). A previsão é de que no mês de maio, período em que a obra deve alcançar o seu ápice, 160 trabalhadores estejam no local prestando serviço.
A seleção de trabalhadores para a Todesmade ainda não aconteceu. No entanto, com a proposta de aproveitar mão de obra de moradores da região, foi feita uma pré-seleção onde foram encontradas 144 pessoas que tem interesse em trabalhar na indústria. “Teremos algumas pessoas que virão de outras cidades, mas a maioria dos colaboradores certamente serão de Cachoeira do Sul”, enfatiza o gerente da planta, que já está de malas prontas para vir de Bento Gonçalves com a família para residir na cidade.
Prefeitura parceira
A Prefeitura de Cachoeira do Sul foi parceira da Todeschini desde o início da implantação do projeto. Toda a obra de rebaixo e aterro da estrada ao redor de onde será a planta foi feita pela Secretaria Municipal de Interior, somando uma área de 350 metros de extensão e 22 metros de largura. Há trechos onde foi preciso cavar mais de 4 metros até que se chegasse ao nível indicado pelos topógrafos.

Comente este artigo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *