Cachoeirense presidirá o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul 2020/21

O Desembargador cachoeirense Voltaire de Lima Moraes presidirá o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul no biênio 2020/2021, sucedendo ao Desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro. Em eleição ao cargo de Presidente do TJRS realizada nesta segunda-feira (02/12), Voltaire obteve 76 votos, contra 56 dados à atual Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Denise Oliveira Cezar. Do total de 133 Desembargadores votantes, as urnas eletrônicas registraram um voto em branco. A posse do próximo Presidente ocorrerá no dia 3 de fevereiro.

Atual Presidente da 19ª Câmara Cível, o Magistrado vitorioso disse em entrevista, após conhecer o resultado, que recebia a escolha de seu nome com grande responsabilidade, “pois a votação expressa o pensamento da maioria e não podemos decepcionar, em hipótese alguma, quem apostou na nossa candidatura. Vamos procurar fazer uma administração de muito diálogo com a sociedade, com os poderes, instituições e as pessoas que recebem a prestação jurisdicional”, declarou.

O Desembargador acrescentou que valorizará, sobretudo o 1º grau, que qualificou como uma “verdadeira locomotiva” do Poder Judiciário, movimentada pela Magistratura e pelos servidores. Conforme ele, que recebeu abraços e saudações de seus pares no Auditório Ministro Pedro Soares Muñoz, a gestão buscará, ainda, projetar cada vez mais o Poder Judiciário do Rio Grande do Sul no cenário nacional.

Além do Presidente, a Administração do TJ contará com a Desembargadora Liselena Schifino Robles Ribeiro na 1ª Vice-Presidência; Desembargador Ícaro Carvalho de Bem Osório na 2ª Vice-Presidência; Desembargador Ney Wiedemann Neto na 3ª Vice-Presidência; e a Desembargadora Vanderlei Teresinha Tremeia Kubiak na Corregedora-Geral da Justiça, que foram eleitos por aclamação. Os Desembargadores que concorreriam a esses cargos pela chapa liderada pela Desembargadora Denise retiraram seus nomes após a divulgação do resultado à Presidência

A votação foi presidida pelo Desembargador Carlos Duro. Após a eleição para a Presidência, os Desembargadores votaram para definir a metade eleita do Órgão Especial.

 

Comente este artigo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *