13° salário deve injetar R$ 13,9 bilhões na economia gaúcha em 2019

Um levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apontou que o pagamento do 13º salário irá injetar R$ 13,9 bilhões na economia do Estado até dezembro de 2019. O montante representa  cerca de 3% do Produto Interno Bruto  estadual.

Conforme a estimativa do instituto, 5,5 milhões de pessoas terão ao acesso ao benefício no Estado — o correspondente a 6,5% do total do país. A maior parte de indivíduos que receberão a benesse é composta por empregados do mercado formal, cuja parcela representa 54,8% do total. Os outros 45,2% são pensionistas e aposentados do Instituto Nacional do Seguro Social .

Quanto à distribuição por segmento, assalariados do setor público e privado receberão R$ 8,9 bilhões (63,9%)  e beneficiários do INSS R$ 3,3 bilhões (24%). Aposentados e pensionistas do Estado que pertencem ao Regime Próprio serão beneficiados com, ao todo, R$ 1,2 bilhão (9%), enquanto os de Municípios receberão R$ 309,1 milhões (2,2%). Aos empregados domésticos, caberão R$ 134,1 milhões (1%).

Sem incluir o setor público na conta, o Rio Grande do Sul tem um valor médio para rendimento de R$ 2.244,03.

Em se tratando da estimativa setorial, assalariados gaúchos lotados no setor de serviços— incluindo administração pública — terão direito à maior  parcela do montante, com 59,7% do total destinado ao mercado formal. Empregados da  indústria receberão 21,5%, comerciários 14,4% e construção civil  2,5%. O setor que menos terá beneficiados será o da agropecuária, o qual representa uma parcela de 1,9% trabalhadores.

 

 

fonte Gaúcha/ZH

Comente este artigo..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *